Plágio literário: Parece que está na moda…

Posted on Posted in Guia da Escritora Independente

Infelizmente eu tenho visto bem mais que eu gostaria situações de autores plagiados pelas plataformas digitais. Sim…  é feio, muito feio isso, e pior mostra a falta de respeito da nossa sociedade com o privado. Fora outras características (ou falta delas) que o plagiador tem que prefiro nem mencionar para não causar polêmica.

O que acontece é que com essa onda de plágios, PDF’s, “inspirações literárias”, cada vez mais os autores se perguntam como pode se defender. É fato que a lei no Brasil sobre o direito autoral não é rígida e deixa margem para muitas interpretações que variam de juiz para juiz. Quando eu era pequena ouvia muito minha tia falar que barriga de mulher, resultado de futebol e sentença de juiz não tem como se prever. Hoje a barriga de mulher a gente descobre rapidinho. O resultado do futebol chegamos perto dependendo de como o time anda, mas a sentença do juiz continua um mistério da humanidade.

Mas enfim, voltando ao que interessa…

A única forma de não sermos plagiados hoje em dia é não publicar. E como somos escritores e o objetivo final é a publicação, isso fica fora de questão. Resguardar os direitos autorais é responsabilidade do autor. Por isso o registro na Biblioteca Nacional é fundamental.  (Tem um passo a passo de como fazer aqui!).  Isso não vai impedir que você seja plagiado, mas agilizará o processo pois a prova é irrefutável.

Ok, mas eu fui plagiado pelo meu beta. E aí? Bom, nesse caso, eu espero que você tenha enviado seu original por email. Assim o email serve de prova que você foi quem passou o material para ele.

A maior questão para mim nem é o plágio.

Ele é dor de cabeça, processo demorado, mas você terá como provar a autoria. O problema é a tal inspiração literária. “Eu não plagiei, eu me inspirei”. E ai, você vai olhar a cena e tirando os nomes dos personagens e a troca de alguns verbos o texto é o seu. Mas o plagiador jura que não… foi só inspirado.

Essa linha tênue é a mais preocupante. Veja bem, isso nada tem a ver com fanfics, que são histórias novas para personagens ou enredos já existentes. Estamos falando mesmo de alguém ler o seu livro e escrever uma história ou cena igual aquela que você sofreu pra colocar no papel.

Não tem como impedir que isso aconteça e muitas vezes nem sabemos que aconteceu. E o que da para fazer? Não da. Não tem. E lamento dizer, alguns juízes aceitam sim a ideia de inspiração.

O que está na hora de acontecer é: Criarmos a consciência da importância da união dos escritores para forçar leis mais rígidas e fiscalização que nos respalde e uma campanha sobre plágio. Assim como já houve sobre a pirataria.  Acabar com isso não conseguiremos, mas coibiremos bastante. Porque o leitor esclarecido, quando perceber esse plágio disfarçado de inspiração ajudará os autores a denunciar.

Provavelmente você terminou de ler esse artigo, do mesmo jeito que eu terminei de escrever.

Triste. Triste porque as pessoas tem essa mania de se aproveitar das outras e porque nossas leis não nos protegem. Mas anime-se! Lembre-se que o motivo maior é o seu leitor e que por um sorriso sempre vale a pena correr um risco!

 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *