8 livros incríveis escritos por mulheres!

Posted on Posted in Escrita e Cultura

Não existe outra forma de começar esse texto sem um pedido: leia sempre mulheres. Não só no dia da mulher, ao começarmos o mês de março, quando alguma escreve um livro incrível e que depois vira filme ou quando o trabalho é devidamente reconhecido através de prêmios e sucesso de vendas. Leia sempre. Ponto final.

Leia mulheres de todas as etnias, culturas, países, grupos, classes sociais, idiomas, mulheres que fazem parte do movimento LGBT, que são escritoras independentes, mulheres publicadas por grandes ou pequenas editoras, mulheres cuja escrita é suave e também aquelas cujas palavras saltam aos nossos olhos. Simplesmente leia sempre mulheres. A leitura, o respeito e o incentivo pelo trabalho de tais deveria acontecer todos os dias do ano. Nem sempre acontece, mas muitas ainda tentam, lutam, batalhando pela sua escrita. Pelo direito e privilégio de serem publicadas e lidas.

Como criadora de conteúdo (oi, escritor!) eu me vejo na responsabilidade de nessa data compartilhar alguns livros incríveis escritos por mulheres. Mulheres de diferentes grupos, de diferentes países, ascendências, idiomas e estilos de escrita. Todas reconhecidas nos seus devidos meios. As suas obras são facilmente diferenciadas. Enquanto algumas optam por compartilhar as suas vivências. Outras compartilham histórias e ideias reais, uma delas inclusive compartilha a história de outra grande e importante mulher. O fato é que o trabalho de cada uma delas é forte, até mesmo quando apresentado na forma de uma comédia romântica. Muitas estão vendendo mundo afora, sendo recomendado por especialistas, compartilhado em grupos de leitura, irritando alguns e inspirando muitas.

Algumas chegaram no topo das listas de mais vendidas, outras ainda vão chegar lá. De qualquer forma, o valor das suas obras é indiscutível. Escritor, eu lhe apresento 8 livros incríveis escritos por mulheres!

Ei! Só para deixar claro, os links da lista são afiliados. Ou seja, a Escritor Publicado recebe comissão da venda pelo link.

The Light We Lost por Jill Santopolo

Sinopse: 

Ele foi a primeira pessoa a inspirá-la, a movê-la, para compreendê-la verdadeiramente. Era para ser o último?

Lucy é confrontada com uma escolha que altera a vida. Mas antes que ela possa tomar sua decisão, ela deve começar sua história – sua história – no início.

Lucy e Gabe conhecem os idosos da Universidade de Columbia em um dia que muda suas vidas para sempre. Juntos, eles decidem que querem que suas vidas signifiquem algo, importe. Quando se reencontram um ano depois, parece estar certo – talvez eles encontrem o significado da vida um no outro. Mas então, Gabe se torna um fotojornalista atribuído ao Oriente Médio e Lucy prossegue uma carreira em Nova York. O que se segue é uma jornada de treze anos de sonhos, desejos, ciúmes, traições e, finalmente, de amor. Foi o destino que os uniu? É uma escolha que os manteve longe? Sua jornada separa os continentes de Lucy e Gabe, mas nunca os corações uns dos outros.

Leia pois: Foi quase difícil largar esse livro. Eu nunca rinha lido nada da autora e me surpreendi. É lindo, romântico justamente na medida. Ele tem muitos altos e baixos. Com uma apresentação realística de uma história de amor e de um período que muitos tiveram que lidar após vivenciarem algo que impactou a sociedade como um todo. Vale a leitura.
Quote inspirador:


salt. (English Edition) por Nayyirah Waheed


Sinopse:

É uma jornada através do calor e da nitidez. esta coleção de poesia explora as realidades de múltiplas identidades, linguagem, vida e dor diaspóricas, auto, comunidade, cura, celebração e amor.

Leia pois: É uma das poesias mais incríveis e reais. De verdade. A autora trabalha diferentes nuances na sua poesia que fazem com que o leitor se emocione com pouco. São poesias minimalistas, reais, vivas. Por vezes delicada, nos guiando por pensamentos e sensações e em determinados momentos nos dando choques de realidade, parecem até mini tapas na cara com verdades que todos precisam lidar.

Quote inspirador*:

*tradução livre.

O que o sol faz com as flores por Rupi Kaur

 

Sinopse:

“O que o sol faz com as flores” é uma coletânea de poemas sobre crescimento e cura. Ancestralidade e honrar as raízes. Expatriação e o amadurecimento até encontrar um lar dentro de você. Organizado em cinco capítulos e ilustrado por Rupi Kaur, o livro percorre uma jornada dividida em murchar, cair, enraizar, crescer, florescer. Uma celebração do amor em todas as suas formas.

Leia pois: É impossível falar de escritoras mulheres sem falar da Rupi. E o seu segundo livro é tão forte quanto o primeiro. Já recomendamos essa obra, na versão em inglês aqui, e o sucesso da autora se repete com a  versão traduzida. Leia para refletir, para sonhar, para deixar a imaginação correr solta e ter um bom lugar para se aquietar. Leia “O que o sol faz com as flores” para ver um pouco da visão do outro, no caso de uma autora tão diferente da gente.

Quote inspirador*:

*tradução livre, do livro “The Sun and Her Flowers”.

Fugitiva por Alice Munro

Sinopse:

“Uma história de ninar, em que todos os detalhes eram importantes e precisavam ser acrescentados a cada vez, e isso com relutância convincente, timidez, risinho, que safada, que safada.” Trecho do conto que dá título à Fugitiva, coletânea de narrativas de Alice Munro, essa frase, calculada e ao mesmo tempo natural, sincera, sem amarras, poderia representar bastante, como um objeto visto por lente de aumento, a prosa da autora canadense: histórias de ninar, cheias de detalhes pessoais e próprios de intimidades, de momentos em que se está livre do olhar de um terceiro. Vencedora do Nobel de Literatura de 2013, Alice Munro apresenta em Fugitiva as obscuras e frágeis fundações de relacionamentos, de descobertas juvenis ou tardias, de enfrentamento ou aceitação de mistérios no universo feminino. As mulheres de Munro, e especialmente neste livro, se encontram em constante questionamento: a idade, o trágico e o belo de correr atrás de um homem que acaba-se de encontrar no trem, a insegurança e o desejo em forças opostas na relação entre marido e esposa. Cada conto se desdobra em movimentos que geram uma reação inesperada, como nas histórias de ninar, em que tudo reside calmamente até que surge o elemento desequilibrador. Que, mais do que pôr a própria narrativa em xeque, deixam cada personagem fora de órbita, atraídos e repelidos por forças que nem eles, tampouco o narrador, sabem a origem. O cenário, apesar de ser sempre o do norte canadense, se transporta para aquela esfera universal que faz de uma obra literária um clássico atemporal.

Leia pois: Uma mulher escritora que ganhou o Nobel em 2013, com a proeza de fazer vários livros inspiradores. Sem perder a qualidade. E essa obra trabalha justamente momentos, mulheres, sonhos e dúvidas. Na medida para o momento em que vivemos.

Quote inspirador*:

*tradução livre.

Sofia Khan is Not Obliged: A heartwarming romantic comedy por Ayisha Malik

Sinopse:

Sofia Khan está solteira mais uma vez, depois que “potencial” namorado aparenta ser um pouco próximo demais dos pais. E ela ficaria feliz assim, se seu chefe não lhe pedisse que escrevesse um livro sobre o mundo estranho e maravilhoso do namoro muçulmano. Claro, mesmo que ela definitivamente não esteja procurando por amor, para escrever o livro, ela precisa fazer uma pequena pesquisa. . .

Leia pois: Eu queria ao menos lembrar como me deparei com a obra de Ayisha Malik, acredito que foi quando a própria Amazon me indicou como leitura por ser similar a outro. Só lembro que foi no meu aniversário. Uma das minha grandes surpresas literárias de 2017. A autora fez com que, sem eu nem perceber,  me encantasse e torcesse por uma protagonista com uma cultura completamente diferente da minha. Mas com dilemas, sonhos e ideias tão similares. Talvez seja besteira, mas a comédia romântica de uma muçulmana que fica encarregada de escrever um livro sobre namoro muçulmano vai ficar sempre marcado como o livro da minha atual idade.  E sim, tem um livro que é a sequência, e sim, eu já li e também recomendo.

Quote inspirador*:

*tradução livre

Cleopatra: A Life por Stacy Schiff

Sinopse:

Seu palácio cintilava com ônix e ouro, mas era mais rico ainda mais em intriga política e sexual. Acima de tudo, Cleopatra era uma estrategista perspicaz e e grande negociadora. Ela foi casada duas vezes, cada vez com um irmão. Ela travou uma brutal guerra civil contra o primeiro e envenenou o segundo; Incesto e assassinato foram especialidades familiares. Ela teve filhos com Júlio César e Mark Antony, dois dos romanos mais proeminentes da época. Com Antony, tentou forjar um novo império. Famosa muito antes de ser notória, Cleópatra ficou famosa por todas as razões erradas. Sua personalidade flexível e o drama de suas circunstâncias perderam-se. Em um retorno magistral às fontes clássicas, Stacy Schiff separa corajosamente o fato da ficção para resgatar a rainha magnética cuja morte inaugurou uma nova ordem mundial.

Leia pois: Parte de mim só queria agradecer a autora por compartilhar uma versão da Cleópatra que poucos conhecem, que faz com que mais mulheres se inspirem nela. Mostrando a verdade, o lado mais forte e guerreira dela. Motivo que fez com que eu quisesse compartilhar essa obra com vocês. Se inspirem no passado, sabendo que a história nem sempre é justa com as mulheres, mas que o futuro sem vem, e com tal mulheres que vão fazer jus às outras.

Quote inspirador*:

*tradução livre

Uma estranha na cidade por Carol Bensimon

Sinopse:

Em seu primeiro livro de não ficção, Carol Bensimon traz textos que colocam em evidência as peculiaridades e as angústias de uma geração que, enquanto aprende a decodificar o mundo, tenta ser compreendida pela que a antecedeu. Aqui estão reunidas crônicas publicadas no jornal, reflexões veiculadas em blogues e ainda um ensaio inédito sobre a busca pelo genuíno em uma cidade-fantasma dos Estados Unidos. As pautas são múltiplas: planejamento urbano e o espaço das pessoas nas cidades, viagens, tecnologia e sua interferência no cotidiano, novos paradigmas do consumo e até mesmo as maneiras contemporâneas de expressão sentimental e sexual.
Antes de mudar o mundo, a geração que já viveu a revolução digital quer relações interpessoais mais livres, espera criar cidades humanas e seguras e tenta empurrar um pouco mais para longe as fronteiras geográficas. Os ventos de mudanças já estão aqui. Resta descobrir para onde navegar.”

Leia pois: A autora sai muito bem no seu primeiro livro de não ficção. Ela nos guia pelas suas ideias e interesses. Nos mostrando ruas, caminhos, cidades, sonhos e conexões. Tudo isso em um livro bem pensado, trabalhado e conduzido. Daqueles de se comprar o livro físico e levar para uma praça ou para a beira da piscina.

Quote inspirador:

Memórias de Uma Beatnik por Diane di Prima

Sinopse:

Uma jovem beatnik na Nova York boêmia dos anos 1950. Jazz, poesia e muito sexo.
Um retrato ousado, franco, mas bem humorado da geração beat, por uma de suas principais representantes.

Leia pois: Uma importante ativista, escritora e editora da geração Beat. A autora trabalha com muita liberdade, mesclando a ficção e o erotismo para compartilhar um pouco daquela época. Que por mais que pareça tão distante, tem muito a ainda compartilhar.

Quote inspirador:


E aí, gostaram da lista? Qual dessas grandes escritoras você vai ler agora? Comenta para a gente.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *