Posso escrever em diferentes gêneros?

Posted on Posted in Branding, Escrita e Cultura

Uma das dicas que a gente dá aqui na Escritor Publicado é que você deve conhecer o seu público. Saber para quem você está escrevendo é essencial na hora de planejar uma carreira de escritor. Como a maior parte dos escritores que passa por aqui é iniciante e não conhece bem ainda nem o seu público, nem a sua escrita, um dos nossos exercícios de públicos passa por reconhecer o seu gênero literário e os principais livros e referências deste gênero.

É um caminho que consideramos mais fácil para quem está começando, porém ele leva a um questionamento mais complexo: escritor só pode escrever um gênero literário?

A resposta curta é: não!

Escrever apenas um gênero pode ser uma maneira mais fácil de encontrar e fidelizar um público, mas não é a única. Talvez você, assim como eu, goste de experimentar diversas formas de escrita e está tudo bem. Por outro lado, para conhecer o seu público você vai precisar fazer um trabalho mais profundo, tanto no sentido de entender a sua escrita, quando de entender quem gostaria de ler ela.

Não se limite, se compreenda.

Há mais fatores comuns na sua escrita do que apenas o gênero literário. Por isso, faça uma busca mais ampla, compreensiva do seu trabalho. Busque aqueles 5 (ou 10, ou 20) trabalhos que você mais gostou, que você sente que mais te representam, o que eles tem em comum?

Talvez seja um tipo de personagem, por exemplo, mulheres fortes, talvez seja um tema, como vida moderna, talvez sejam os seus cenários (por exemplo, você gosta de falar de questões regionais, do seu estado ou cidade). Talvez seja tudo isso e mais um pouco. Se você já tiver um caminho mais longo e uma escrita mais desenvolvida, talvez seja a sua voz.

O importante é ter em mente que sua marca de escritor não precisa se limitar ao gênero literário, mas pode compreender também outros aspectos da sua escrita.

É possível que se você fizer uma análise com muitos textos, alguns deles destoem completamente dos outros, isso não significa que você não deva escrever mais aquele tipo de texto, mas que você deve focar nos outros, no que você faz se melhor, no que realmente te move na escrita. Construa a sua marca em cima disso e se preocupe menos com que estilo de texto você está escrevendo. Incorpore mais desses fatores que são comuns entre os seus textos, faça com que eles se destaquem na narrativa e busque o público certo para esse tipo de texto.

Um exemplo prático:

Eu, por exemplo, gosto muito de escrever crônicas, na verdade uso delas para entender melhor o que está se passando e o que eu penso da vida. Por outro lado sempre tive uma fascinação por histórias curtas, os tais contos. E mais recentemente venho tentando escrever um projeto de livro nesse sentido, e outro de narrativa longa.

E o que tudo isso tem em comum? Minhas personagens principais nas histórias curtas e no meu projeto de romance tendem a ser mulheres fortes, o cenário é sempre atual, bem século XXI e trata de questões do dia-a-dia. Claro, tudo isso já se aproxima automaticamente da crônicas, uma vez que elas são basicamente a minha opinião, o meu take sobre a vida e as coisas que eu vejo, ou seja, a opinião de uma mulher do século XXI.

Viu como não é tão difícil assim encontrar algo em comum entre os textos, mesmo que a principio eles façam parte de universos literários tão diferentes?

E a pergunta que não quer calar é: quem é o seu público então?

Independente da forma, as pessoas que vão gostar do que eu escrevo, para nos mantermos no exemplo, são principalmente mulheres, entre os 25 e os 35 anos, que provavelmente moram em cidades grandes ou vivem em centros urbanos e tem um background parecido com o meu. É com essas pessoas que eu me comunico, independente do formato dos textos.

Sim, eu tenho alguns textos que fogem deste contexto, por exemplos, contos que eu escrevi nas oficinas de escrita, inclusive o que eu mandei para o concurso offflip. Eu deixo de escrever esses textos? Nunca, mas penso em que público tem mais interesse neles e os utilizo dentro dos contextos aos quais eles fazem parte.

Agora é com você, escritor? Você quer se aventurar por diversos gêneros? O que os seus textos tem em comum, em que contexto vale a pena publicar cada um deles? Todos eles estão agregando a sua marca de alguma forma? Faça uma análise dos textos que você acha que mais te representam. ou daqueles que você mais gostou mesmo. De preferência pegue exemplos dos diversos estilos, ou gêneros que você gosta de escrever. Veja o que os une, os elementos em comum e pense em como cada coisa se encaixa na sua experiência enquanto escritor.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *