6 formas de todo escritor ter ideias!

Posted on Posted in Mercado Editorial, Redes Sociais

Algumas parecem que surgem com vontade própria. Outras demoram, seus fragmentos tomam conta dos nossos dias, noites e tarefas. Você sabe o que estou falando escritor? Das ideias. Isso mesmo, essas grandes responsáveis por fazer com que a gente crie, faça livros, histórias e crie mundos novos também são complicadas de se entender. E de se ter.

Mas calma, elas podem ter vida própria mas nós temos diferentes aliados. São pequenas dicas, ferramentas que podem lhe ajudar muito na hora de ter mais ideias. E não há certo ou errado, afinal toda ideia requer sempre muito repertório. Seja ele de leitura, vivência, aprendizados e até mesmo de erros.

Vem ver o que separei para auxiliar você a ter mais ideias!

Folha de papel > Cursor da tela

Por mais que eu adore as tecnologias, preciso admitir: minha melhores ideas estão em cadernos. Isso pois a folha de papel passa uma liberdade muito maior que um cursor. E ajuda a não distrair do que realmente importa, criar. A folha não julga, não conta caracteres, não marca o erro ortográfico, não da sugestões. Ela só existe. Você pode levar ela para a praia, para a beira da piscina, deixar um bloco no lado da cabeceira, guardar no bolso ou na carteira. Muito mais prática, ela serve como plataforma para criar, para ter novas ideias.

Sugiro um experimento: pegue uma folha de papel e se permita colocar nela o que você pensa. Sem se limitar. Pode ser uma frase, uma palavra, algo que aparenta não ter sentido ou até mesmo um quote. As ideias vão se interligar, conectar até. E quando você ver vai ter mais conteúdo do que se ficasse olhando para a um cursor.

Procure o que te inspira

O que te inspira escritor? Pode ser um assunto, um filme, um gênero literário ou musical. Ou até mesmo uma pintura, alguma frase. Com certeza são muitas coisas. E uma boa forma de ter ideias é buscando o que te inspira. Pare e analise do que elas são compostas? Já prestou atenção nisso? Muitas vezes as ideias podem estar na base do que nos inspira.

Por exemplo eu costumo dizer que determinadas citações de músicas me inspiram. E por isso tenho o hábito de ouvir algumas músicas várias vezes quando estou precisando ter ideias. Esse processo repetitivo acaba por fazer com que eu preste atenção não na música em si, mas no que forma tal, seja o sentimento que passa, a forma musical que a compôs ou até mesmo nas palavras. E  o mesmo acontece com livros, os livros são formados por ideias e em muitos casos é possível inclusive fazer um tipo de árvore genealógica do que inspirou a obra.  Ao procurar o que te inspira você acaba por ver o que formou aquele conteúdo, texto, livro, música. E com isso acaba por fazer o seu cérebro trabalhar mais, fazendo com que ele tenha mais ideias.

Faça o oposto

Do que você faz. Sabe o processo que você sempre faz quando precisa ter ideias? Pega ele e faça justamente o oposto. Ao fazer isso você acaba por obrigar o seu cérebro a pensar diferente, criando diferentes caminhos para que a criatividade se exercite e isso por sua vez vai fazer com que você consiga não só ter mais ideias, mas como mais criativas. 

E isso é muito bom, especialmente para os escritores que produzem muito conteúdo, sejam eles livros ou colunas para o blog. Dá uma quebrada no padrão e agiliza o processo.Por isso não tenha medo de fazer o oposto do que você normalmente faz, nunca se sabe o que o seu cérebro vai criar.

Saia e vá dá uma volta

Quando estiver cansado e as ideias não estiverem fluindo levante da cadeira e saia do lugar. Não precisa sair pra rua, às vezes uma volta na sala, no escritório mesmo já ajuda a fazer tudo se mexer. Às vezes você precisa dar um tempo, salvar o que você está trabalhando e andar pela rua, por um parque, só para fazer o cérebro aliviar um pouco.

E nesses momentos de descanso muitas vezes a ideia que tava ali, perdida, guardada em um canto surge. Já que você relaxou, descansou um pouco, o cérebro começa a prestar atenção em outras coisas e isso faz com que muitos profissionais acabem por ter ideias tomando um café, na rua com os amigos e até caminhando pela rua. Tente.

Se permita errar

Erros são comuns. Às vezes doem, mas são saudáveis. Especialmente para a criação e para se ter novas ideias. Considere eles como fragmentos de tal. Isso pois eles são elementos fora do comum, que o cérebro da gente normalmente não pensaria em criar, não de forma lógica pelo menos. Eles fogem do comum, do básico. E por isso acabam por ter um grande destaque.

E isso é comum. Muitos são os livros, contos, que surgem a partir de erros. Quem sabe na próxima vez que errar, anote o erro em uma folha de papel. Ele pode ser útil depois…

Faça combinações

Já pensou em combinar as suas ideias? Isso mesmo. Combinar uma que não deu certo com outra que deu certo, ou três ideias que não foram muito úteis para tentar formar uma ideia melhor. Ou combinar duas super ideias em um super mega boa ideia. Inúmeras são as possibilidades.

Combinar ideias faz com que mais elas se modifiquem, surgindo assim uma outra. Como se fosse uma receita de bolo, você mistura um pouco as coisas e surge uma ideia nova.  Essa é uma forma muito boa para quem tem pouco tempo e muitas ideias na folha. Pois você acaba por ter a liberdade de aumentar, de criar, com base em algo já conhecido.

E aí, já misturou alguma ideia que deu certo?


Essas foram as minhas dicas para ter mais ideias. Tem alguma forma que você gostaria de compartilhar? Se sim, conta pra gente nos comentários.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *